É comum algumas pessoas pegarem uma gripe ou resfriado, mas o que elas não sabem é que esses sintomas podem estar associados à faringite. Começa discreta… Uma dorzinha somente ao engolir, mas aos poucoso corpo todo vai sentindo o reflexo deste mal estar.  Comum em dias frios e secos, seu tratamento precisa ser indicado por um otorrinolaringologista, pois nem sempre se trata de um problema simples e de rápida solução, principalmente quando a dor é recorrente. Ela é um sinal de alerta que indica que alguma coisa está errada.

Segundo a Dra Cristiane Passos Dias Levy, otorrinolaringologista do Hospital Paulista, a dor de garganta pode ser causada por infecções bacterianas ou virais. A maioria dos casos é de origem viral, mas é preciso ficar atento, pois alguns tipos de vírus podem levar à faringite e/ou amigdalite. São processos benignos e, geralmente, a cura é espontânea.

A dor de garganta é um sintoma que acomete tanto adultos quanto crianças e surge devido a um quadro de faringite e, ou, amigdalite. As causas podem ser virais, bacterianas, alérgicas, irritativas – devido ao ar seco, poluição – e por refluxo. Também pode ser causada ou favorecida pela fadiga, após o enfraquecimento do sistema imunológico, por uma alergia, pelo tabaco ou a sua fumaça, pelo estresse ou nervosismo, ou pelo simples fato de ter falado ou gritado muito.

Essa doença é causada por um vírus ou bactéria que provoca uma dor aguda de garganta, atingindo a mucosa faríngea podendo acarretar também febre alta, rouquidão, calafrios, dores no corpo, tosse seca e até vômitos, além de um aumento de gânglios linfáticos na região do pescoço. O portador da doença normalmente tem dificuldades para ingerir qualquer tipo de alimento sólido.

A inflamação afeta pelo menos 30% das crianças e 5% a 15% dos adultos. O vírus e/ou bactéria é transmitido através da saliva ou pelas mãos de pessoas infectadas. Os sintomas se iniciam após um período de incubação que varia de 24 a 72 horas. No entanto, há outras causas de faringites não infecciosas, tais como: refluxo gastro esofágico, gota pós-nasal devido a rinites, alergias e tireoidites. Tempo seco e mudanças bruscas de temperatura facilitam o aparecimento de secreções infecciosas que dão espaço para as inflamações de garganta.

A Dra. Angela Shimuta, otorrinolaringologista da Clínica de Especialidades Integrada explica os tipos de faringite infecciosa:

- Bacteriana: É provocada por vários tipos de bactérias como a estreptococo, micoplasma
- Fúngica: Provocada pelo fungo Candida Albicans, muito perigoso para quem já está com a saúde debilitada;
- Viral: Vários tipos de vírus, assim como o da gripe e resfriado; A faringite pode ser:
- Aguda: Aparece espontaneamente e o processo inflamatório dura alguns dias;
- Crônica: A faringite se prolonga por muito tempo e pode voltar regularmente.

No Brasil, 88% das pessoas tratam os sintomas da dor de garganta, segundo pesquisa realizada em 2009, pela Nielsen em 12 países. Desse percentual, 76% afirmam utilizar um medicamento OTC para combater os sintomas. Porém, nem sempre recorrem a um profissional de saúde e acabam utilizando uma grande quantidade de produtos que, muitas vezes, não tratam a faringite ou causam mais males do que benefícios. Entre eles, estão os demulcentes, como o mel e a própolis – que geram uma sensação de lubrificação da garganta por aumentar a salivação – e os antibióticos, que agem apenas na infecção bacteriana (causa minoritária dos casos) e não na infecção causada por vírus.

Para obter um tratamento adequado e evitar complicações serias como: febre reumática e glomerulonefrites é fundamental diferenciar os casos suspeitos de faringites pela bactéria do grupo estreptococos beta hemolítico do grupo A. O melhor método de avaliação baseia-se na história clinica da doença, exame físico e apropriados testes laboratoriais, como teste rápido para detecção do estreptococos e se necessário exame de cultura Nos casos de infecções por bactéria a medicação pode ser feita através de antibióticos. As virais são tratadas com remédios antitérmicos ou anti-inflamatorios O tempo de cura da faringite é o mesmo que a do resfriado, cerca de 7 a 10 dias. Dentro d esse período, evite ficar em contato com outras pessoas, já que a doença é contagiosa. A alimentação deve ser feita com alimentos líquidos ou pastosos por causa da garganta.

Fonte: http://sentirbem.uol.com.br/index.php?modulo=artigos&tipo=2&id=1327